sábado, 26 de janeiro de 2013

Oh, pahhhhhh....

Foda-se, que és tão boa.

Não fosses tu minha vizinha (numa zona relativamente movimentada, o que faz com que o bater à porta dê muito nas vistas), casada e mãe de um artista com, talvez, menos oito anos que eu, e que por acaso até conheço, e garanto-te que ia ficar sem arroz, açúcar ou manteiga em casa muitas e muitas vezes...

Mas ficas desde já avisada: voltas a parar o carro no meio da estrada para me cumprimentar, toda arisca e de sorrisinho malandro, só porque me viste a passar no passeio, e garanto-te que isto não fica por aqui.

Foda-se, que és tão boa.

(sobre a outra, com longo historial, a crónica fica para depois)

8 comentários:

  1. Estás a falar de quem mesmo? É que "esqueceste-te" (:P) de mencionar o nome .)

    PS: Só agora cheguei a casa. Acreditas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito, sim! :)

      Não estou a falar de ninguém. Isto é só ficção. Agora, se me dás licença, vou ali passar à porta de determinada habitação, só como quem não quer a coisa...

      Eliminar
  2. Gosto disto, quero cenas dos próximos capítulos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não estou curado da gripe e, além disso, tenho o coração fraquinho.
      Não puxes por mim, pf.
      Obrigado. :)

      Eliminar
  3. Olha que mulher casada,só trás problemas.E para mais com filho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é só ficção. Eu caminho no Caminho do Senhor...

      Eliminar