sábado, 2 de janeiro de 2016

E depois de passada a panca

Eis que Maria acorda* e começa a percorrer a cama com as pernas.

- Que foi? Tás com frio?
- Não, tou à procura das minhas cuecas.
- Não as tirasses..
- Parvo.

(um pouco depois...)
- Oh... Tás em cima das minhas cuecas.
- E depois?
- E depois sai de cima delas..
- Há pouco também estava em cima, e não era das cuecas, e não te vi a pedir para sair.
- Estúpido...






* Que raio.. Coisas que acontecem só ao escriba. Ele que gosta tanto de ficar ali, a fazer conchinha, horas e horas sem fim, à conversa ou a fazer festinhas na cabeça e o raio da Maria adormece, praticamente sempre, logo de seguida. Não se faz...

É que já só me falta arranjar um nome catita, antecedido de Professor, e um texto para uns papeizinhos a colocar nos para-brisas das viaturas.

Fosse hoje um dia anterior ao dia de ontem (para os que ainda estão em dificuldade: fosse hoje - ainda - um dia de 2015), e o escriba poderia tentar adivinhar o futuro, escrevendo-o para memória, também ela futura, logo após Maria o ter informado que já havia adquirido cuecas, mais concretamente em número de duas, azuis.


- Foda-se!, vais usar as duas ao mesmo tempo?Que raio de mania, essa, da roupa de cor tal, das passas, da cadeira, da nota na mão. Como se isso fosse mudar alguma coisa..
- Não, vou usar só umas. E tu também. Em azulinho!
- Hein? Deves estar mesmo a pensar que vou usar isso...
- Estas não, parvo, mas tens aí muitas por estrear, e azuis, portanto, já sabes...
- Sabes bem que não uso disso: o que tenho são boxers.
- Desde que sejam novos e azuis está bom.
- Então espera sentada..


E Mg, como burro teimoso que é, nesse momento decide fazer uma surpresa a Maria (quando, já depois da meia-noite, provavelmente bem bebido, e já em sua casa, chegar a hora de "desembrulhar os presentes", tarefa para o qual é preciso passar primeiro pelas ditas peças azuis) apresentando um dos exemplares em pior estado de que é orgulhoso detentor, praticamente já sem elástico e com um buraco, embora pequeno e quase imperceptível, numa das nalgas.

E é aqui que, chegados à parte da adivinhação, Mg aposta que as palavras de Maria serão algo do género:
"- O QUÊ? NEM NA PASSAGEM DE ANO? Eu já te disse que se um dia tiveres um problema qualquer e tiveres de ir para o hospital, podes ligar a toda a gente, menos a mim, não disse? É que até me envergonhas... Não tinhas coisa mais velha para usar? Francamente...",
ao qual Mg retorquirá com um
"- por acaso até tenho uns piores, e sabes bem que sim, mas queres tratar disso agora, ou pode ficar para depois?"
"- tira isso, agora, e não os voltas a usar...!"

E Mg assim fará, pelo menos quanto à sua rápida retirada..

Mas como já não estamos em 2015, não pode o escriba deitar-se a tarefas de adivinhação de coisas que já o foram, e nem sequer vai revelar se os seus dotes de adivinho são alguma coisa de jeito ou se não se pode contar com ele lá para aquilo da chave do Euromilhões.


Feliz Natal para todos.

Feliz Ano Novo!



quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Onde está o Wally?

(Ou de como o escriba também faz daqueles posts do que vê da sua janela das suas bolas.)

A questão que se coloca agora, é: onde esteve Mg recentemente?


quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Sua excelência altíssima falou.

E disse.

Só darei posse a um governo que garanta maioria no Parlamento e estabilidade para quatro anos.

(mas se meter comunas e bloquistas, esqueçam lá isso...)


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Sempre do contra, pá... Até enerva!

(e depois, dou por mim a pensar que amanhã é o 9/11, que me recordo o que era suposto ter feito naquele dia e não fiz, e que ainda devo ser dos poucos que acha que aquilo foi um inside job e que, muito provavelmente - e, aí sim, por razões que me ultrapassam completamente - o Bin Laden ainda está vivinho da silva, com tudo do bom e do melhor ao lado, e já na companhia das 40 - ou lá quantas são - virgens a que terá direito quando efectivamente, morrer)

E que tens feito tu, oh escriba, que andas assim um tanto ou quanto arredado deste admirável mundo dos blogs e ninguém sabe nada de ti?

Basicamente, o mesmo de sempre, que sou moço pacato e recatado.

E o que não tenho feito? Ora...
- não vi filmes do Oliveira;
- não li, não comprei (também não sei um único título de um dos livros lá dele), nem faço a mínima ideia de quem seja esse Modiano;
- não comi bagas nem sementes;
- não bebi desses sumos feitos com bróculos e couves;
- não tirei selfies (mas folgo em saber que há quem fique contente em meter o respectivo pau no cú);
- não fiquei colado à televisão a ver o passeio de um morto pelas ruas de Lisboa, nem especialmente eufórico por ver um dos "meus" lá naquilo do Panteão, que parece que tem lá os supra-sumos todos, tudo gente que em tempos foi muito boa, muito válida e coiso e tal, Amén;
- pior que isso, a heresia das heresias, a mãe de toda a podridão mental e a madrasta da pobreza de espirito, não fui Charlie. É também certo que não tenho conta lá naquilo do livro das caras, mas, fosse eu integro e de valor, e tinha aberto uma propositadamente para poder ser Charlie. Não o fiz. Não o fui. Sou um traste.

Mas isso não me incomoda nada.
O que me incomoda, e que, no fundo, é o que me traz aqui, é ver incomodados lá com as fotos de uma mulher grávida, que, por sinal, mostra um bocado de pele (já vi mulheres na praia a mostrar bem mais) e que, por (não) acaso, vai a votos daqui a um mês.

Ora, é ver as mulheres incomodadas porque o que queriam, no fundo e com aquela idade, era ter um corpo e uma carinha laroca como a dela, sem falar naquele ar de furacão selvagem que rebenta tudo por onde passa e ver os homens incomodados, porque o que queriam, no fundo, era estar lá na capa da revista a segurar-lhe as mamas, e tê-la ao lado, na cama, todas as noites, em vez do bisonte com quem casaram.

Por mim, que não percebo nada disto, acho que está muito bem como está, não tenho nada contra lá isso da revista e sou até capaz de garantir que, em vindo com (mais ou menos, não importa: o que importa é que venha) jeitinho, lhe colocava o voto na urna.

sábado, 20 de junho de 2015

Amor da Maria.

Mg passa o dia fora, nos seus afazeres.

Quando chega, o ninho do amor está impecavelmente arrumado e limpo.

O amor é lindo, não é?